Reforma ortográfica

É difícil e fácil ser contra ou favor ao Acordo Ortográfico. Eu pessoalmente não gosto muito da idéia, apesar de ser a favor de normalizações em geral – e a palavra ideia (assim como assembleia e estreia) agora se escreve sem acento no “e”, o que é muito estranho para quem a usou por mais de 1/4 de século.

O português de Portugal também se adaptará, deixando de serem usadas, por exemplo, as consoantes mudas – como em concepção, aflicção, actor etc. O que faz certo sentido.

O trema também se vai embora. Uma bobagem tremenda. Como sinalizar que o “u” deve ser pronunciado? E o pára, do verbo parar, que agora não tem mais acento?

Além de Brasil e Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor Leste e Macau (região administrativa especial da China que também fala o português) assinaram o acordo.

Não vejo muito sentido no Acordo. Cada um acabou desenvolvendo a sua própria língua. E é assim que tem de ser.

Anúncios
Esse post foi publicado em Brasil, Literatura. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s