Sete anos atrás, Semana 3 era lançado

Na última quinta-feira, 21 de maio, lá se foram 7 anos do início do jornal “Semana 3”, que ajudei a criar com o Zé Ricardo Manini (e também o Silvio Anunciação), quando ainda estávamos na faculdade de jornalismo da Puc-Campinas – e que durou até 2006, quando tinha se transformado em revista.

Lembrei disso hoje quando peguei a “Metrópole”, revista que circula aos domingos no “Correio Popular”, e li um especial sobre Barão Geraldo – eles citam uma edição do “Semana 3” de dezembro de 2003, especial sobre os 50 anos de Barão como distrito.

Fiquei contente em ver a citação. Mostra que fizemos um bom trabalho, mesmo ainda estudantes sem muita experiência. Lembro de como foi difícil produzir aquela edição: muita pesquisa, idas e vindas aos centro de memória da Unicamp, leitura de livros, muita conversa nas ruas. Faço uma crítica aos jornalistas da “Metrópole”: teve pouca apuração de rua.

Mesmo a matéria com o Vitachi, acredito eu, virou pauta por causa de um perfil (muito legal, aliás) que fiz pro mesmo “Semana 3”, que pode ser lido aqui. Personagens assim em Barão existem aos montes. É só procurar.

Lembro com orgulho e carinho do “Semana 3” – foi onde aprendi muita coisa, na raça, batendo cabeça, brigando com os sócios e fazendo muita merda, mas também muita coisa bacana. No fim, o projeto se tornou inviável e eu, na fase final tocando sozinho, decidi acabar com tudo meio que do dia pra noite. Virou um tormento como negócio e eu perdi muita grana.

O “Semana 3” surgiu como um “jornal de bairro” melhorado, com distribuição no distrito de Barão Geraldo, em Campinas. A pauta era local misturada com muita cultura e entrevistas (algumas estão aí no menu à esquerda). Alguns colunistas também davam o ar da graça, escrevendo de graça e eu sou grato a todos. As colunas do Soares Silva eram simplesmente sensacionais – leiam aí. Muito boas mesmo.

Volta e meia sinto falta de fazer um perfil ou uma reportagem de fôlego ou de, sei lá, editar por uma semana um jornal. É uma adrenalina boa.

Anúncios
Esse post foi publicado em Egotrip, Jornalismo. Bookmark o link permanente.